Falso sequestro de bebê em Canaã dos Carajás é desvendado e mãe é presa acusada de aborto





Na noite desta terça-feira (20) a noticia de um sequestro de um bebê em Canaã dos Carajás, acompanhada de um áudio onde uma mulher relatava o acontecido e a foto de uma criança de quatro dias de nascido rapidamente viralizou nas redes sociais.

O suposto ocorrido havia acontecido na Rua Belmonte no bairro Monte Castelo por volta das 22h, onde um casal havia sequestrado uma recém-nascida de nome Valentina.
Na manhã desta quarta-feira (21) o Delegado de Policia Civil de Canaã dos Carajás, Bruno Fernandes publicou em suas redes sociais o pedido de ajuda e confirmava que a mãe do suposto bebê assaltado havia feito um boletim de ocorrência.
Na Postagem o delegado dizia “Bom dia meus amigos, peço a ajuda e o compartilhamentos de todos vocês , ontem por volta das 22 horas a pequena Valentina foi sequestrada por um casal no rua Belmonte, bairro monte castelo, aqui no município de Canaã dos Carajás, um dos suspeitos é uma mulher baixa, morena , cabelo liso curto e encaracolado nas pontas, estava trajando uma saia preta social e uma blusa Branca ( aparentemente o casal é usuário de drogas ). Quem tiver informações favor denunciar nesta página ou no telefone acima”
Após varias buscas e a investigação sobre caso, os Delegados Bruno Fernandes, juntamente com o delegado Thiago e os Investigadores da Policia Civil Roque e Pedrão, foi constatado que tudo não passava de uma farsa e que na realidade a suposta mãe havia realizado um aborto.
 Em outra postagem na rede social o delegado Bruno Fernandes relata o caso “Boa tarde, Eu e IPC RoQue com a ajuda do DPC Thiago e IPC Pedrão da polícia civil de Curionópolis Investigamos e descobrimos que a mãe que veio denunciar o sequestro de sua da filha Valentina estava mentindo, e que na verdade ela abortou intencionalmente com a ajuda de seu esposo e de uma parteira que amassou e esmagou o feto em sua barriga de cerca de 6 meses de gestação, a 3 meses atras e agora resolveu inventar está mentira grave de sequestro . Estamos agora investigando para saber se houve aborto ( interrupção da gravidez e expulsão do feto de forma prematura ) ou o crime de infanticídio (matar o próprio filho logo após o parto influenciado pelo estado puerperal).
A mulher que montou toda a farsa segue presa e a disposição da justiça.

Fonte Plantão 24 horas