PC quer adiamento para investigar estupro coletivo


PC quer adiamento para investigar estupro coletivo (Foto: Maycon Nunes)


A Polícia Civil vai requerer a prorrogação de prazo para dar continuidade ao inquérito policial sobre o caso de uma adolescente de 16 anos que sofreu estupro coletivo, no bairro do Aurá, em Ananindeua.

O crime aconteceu durante uma "social" (como são chamadas as festas onde se consomem bebidas alcoólicas e outras drogas), no final de maio, e que completa um mês nesta segunda-feira (26).

De acordo a Polícia Civil, as autoridades aguardam o recebimento de laudos periciais requisitados, além de realizar outras diligências necessárias para esclarecer os fatos. 

A Polícia Civil informou ainda, através de nota, que as provas que serão apresentadas, por meio das perícias, são necessárias para que possa requerer as medidas judiciais cabíveis em relação aos autores do crime. 


"O inquérito já conta com um elevado volume de depoimentos tomados, entre suspeitos e testemunhas do crime. Os prazos legais do inquérito estão dentro do previsto na legislação", afirma a nota.

(DOL)