Castanhal - Homem que mexia com mulheres casadas é executado com vários tiros no Bom Jesus





“Mulher casada cheira a bala”. Quem nunca ouviu esse ditado popular? Pois é, foi o que aconteceu com o trabalhador autônomo Ailton Silva da Silva, de 49 anos, que foi executado com vários tiros, na periferia da cidade de Castanhal, região do nordeste paraense. No domingo (23), o relógio ainda ia marcar 14h30min quando a equipe do DIÁRIO foi acionada para cobrir um homicídio que acabara de acontecer no bairro Bom Jesus, mais precisamente na travessa Manoel Galvão, também conhecida como a “rua do espeto”.

No local, a reportagem encontrou a guarnição do subtenente Júnior, da Polícia Militar, e, às proximidades, o corpo de um homem prensado entre uma parede de alvenaria e uma cerca de madeira e arame farpado. No corpo foram detectadas várias perfurações provocadas por disparos de arma de fogo, principalmente na cabeça e costas. Na parede ficaram três marcas de bala de revólver calibre 38.

Depois, foi descoberto que Ailton Silva da Silva, sentado com amigos, em frente a uma residência, que fica quase ao lado de sua casa, ingeriam bebida alcoólica quando, em determinado momento, surgiram dois homens desconhecidos em uma motocicleta, sendo que o que estava na garupa desceu do veículo já efetuando vários tiros contra Ailton, que ainda tentou escapar da morte, mas ficou “engatado” entre a parede de alvenaria e a cerca. Nesse momento foi executado.

No momento do crime, “amigos de copo” da vítima saíram correndo e disseram não teriam reconhecido o atirador e nem o comparsa dele. O irmão da vítima, que se identificou apenas como Dinomar, disse que já haviam tentado assassinar seu irmão, dias antes, tentando arrombar sua residência. “Ele (Ailton) não tinha envolvimento com a criminalidade e nem com drogas. Seu único defeito era a bebida e, quando bebia gostava de mexer com mulher casada, inclusive donos de bares, por onde ele frequentava, o aconselhavam pedindo para ele (Ailton) parar com isso, mas meu irmão respondia dizendo que na testa não estava escrito que as mulheres eram casadas”, relatou Dinomar, irmão de Ailton.

As mesmas informações foram repassadas ao subtenente Júnior, da Polícia Militar. “Realmente o crime possa ter sido por motivo passional, já que o próprio irmão da vítima nos informou que ele, quando bebia, gostava de mexer com mulheres casadas”, confirmou o suboficial. Ailton Silva da Silva era natural de Belém e, segundo seu irmão, há pouco tempo estava morando sozinho no Bom Jesus. O corpo foi removido ao Instituto Médico Legal (IML). O caso será investigado pela Divisão de Homicídios (DH) de Castanhal.


Por Tiago Silva (Diário do Pará)