Secretaria de Segurança Pública divulga balanço parcial da Operação “Verão Seguro 2017”





O balanço preliminar da Operação “Verão 2017”, relativo à primeira quinzena do veraneio, mostra uma queda de 86% nos registros de acidentes automobilísticos sem óbito na comparação com o mesmo período do ano passado. Em 2016 foram 14, contra dois registrados no mesmo período deste ano. Os dados relacionados às ações preventivas e de combate da criminalidade foram divulgados pela Secretaria de Estado de Segurança Pública nesta quinta-feira (20). Se nas estradas os números foram positivos, nas praias eles indicam que as orientações fornecidas pelas equipes de socorristas e guarda-vidas ainda carecem de mais atenção. O alerta é comprovado pelos índices de princípios de afogamento. O comparativo entre as primeiras quinzenas de 2016 e de 2017 mostra um aumento das ocorrências de 76 para 106 (em 39%). Os afogamentos fatais, responsáveis por apenas um registro no ano passado, este ano subiram para dois. 
Já os acidentes com animais marinhos quase dobraram, passaram de 182 para 328 casos (80%). Segundo o secretário de Segurança Pública, Jeannot Jansen, a análise de dados da Segup referentes à primeira quinzena de julho possibilita a avaliação das ações estratégicas por meio de atendimentos pontuais que visam a diminuição dos registros. “Nos próximos quinze dias há previsão de maior deslocamento de veranistas para o interior do estado e, por isso, a necessidade de maior atuação dos agentes de segurança nesses locais. No entanto, as atividades têm o intuito de contemplar também a população que fica na capital”, enfatizou. As lesões causadas por linhas enceradas de pipas também foram expressivas. Enquanto em 2016 foi constatado apenas um acidente, neste ano os casos desse tipo saltaram para 29. 
Segundo as informações do Corpo de Bombeiros do Pará houve um aumento de 36% no número de atendimentos gerais no comparativo das quinzenas de 2016 e de 2017, que subiram de 877 para 1.194. De 30 de junho a 17 de julho, a Polícia Militar realizou em todo o estado 3.381 operações e 2.340 atendimentos, que resultaram em 741 prisões e apreensões. As ações de policiamento ostensivo ainda resultaram em 50.089 abordagens. Foram apreendidas no período 10,9 gramas de entorpecentes, 55 armas de fogo e 46 armas brancas. Nos três primeiros finais de semana de julho, a Polícia Civil registrou 1.793 boletins de ocorrência nas delegacias localizadas em 28 localidades, entre sedes municipais e distritos abrangidos pela Operação Verão Seguro. 
No mesmo período, a Polícia Civil foi responsável por 317 procedimentos, entre os quais prisões em flagrante, inquéritos e Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs). A Polícia Civil também deu cumprimento a 12 mandados de prisão de pessoas que estavam na condição de foragidas da Justiça. O primeiro final de semana foi o período que mais registrou ocorrências. Um total de 780 com 117 procedimentos e sete mandados de prisão cumpridos. Dados do Departamento de Trânsito do Estado (Detran) colhidos na primeira quinzena de julho contabilizam 11 acidentes sem vítimas, contra 19 no mesmo período de 2016, uma redução de 57%. Foram aplicadas 4.610 notificações e 500 veículos foram removidos aos Parques de Retenção do órgão. As autuações por embriaguez ao volante resultaram em 90 prisões, e as autuações por em embriaguez somaram 247. As Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH) recolhidas somam 317 registros. 
Foram registrados ainda dois acidentes com vítimas fatais, um no município de Capanema e o segundo em Mojuí dos Campos. A operação abrange os municípios e distritos do Estado que recebem o maior número de visitantes e turistas no veraneio, como Salinópolis, Marabá, Capanema, Altamira, Bragança, Conceição do Araguaia, Barcarena, Alenquer, Tucuruí e os distritos de Mosqueiro, Marudá e Outeiro. Nestes três primeiros finais semanas de participação do Centro de Perícias Científicas "Renato Chaves" na Operação “Verão 2017”, a atividade mais demandada – como de praxe - foi a perícia de constatação de drogas, seguida da perícia veicular. Nesses 15 dias já foram realizadas 95% das perícias requeridas.
Com a base permanente do CPC instalada no município de Salinópolis, dotada de médicos legistas, peritos criminais e auxiliares técnicos de perícia, o tempo de resposta à população diminuiu, visto que esses profissionais não precisam mais se deslocar até a unidade do CPC mais próxima, que seria em Castanhal. Nos três primeiros finais de semana de julho os presídios do Estado foram monitorados pelas aeronaves do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp). A Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) também realizou nesse período as revistas rotineiras dos presídios e dos detentos. A mão de obra de alguns internos do sistema prisional também foi utilizada na “Operação Verão Seguro 2017” para a sinalização do tráfego de carros na praia do Atalaia. Os detentos confeccionaram duas mil bandeirolas que foram distribuídas em uma extensão de dois quilômetros da faixa de areia. Por Carla Moura (Ascom/Segup).