sexta-feira, 8 de junho de 2018

Polícia Civil resgata 36 galos da espécie índio Brasileiro que eram usados em rinhas de briga em Castanhal




Galo com lesões



Policiais civis da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (DEMA), com apoio da Superintendência da Região Integrada do Guamá, desencadearam, nesta quinta-feira (07), a operação policial denominada “Sapucaí”, em Castanhal, nordeste paraense, para combater crimes ambientais relacionados à prática ilegal de rinha de galos.

Ao todo, durante a ação policial, 36 galos da espécie Índio Brasileiro foram resgatados de um local, onde eram mantidos em cativeiro com objetivo de serem utilizados nas rinhas. A operação policial foi deflagrada a partir da informação sobre a prática criminosa. 

Assim, policiais civis da DEMA foram enviados até Castanhal para apurar os fatos e deflagrar a operação Sapucaí, uma palavra que em Tupi-Guarani significa "rio do galo". 

Na ocasião da operação, os policiais localizaram, nos fundos de uma residência, situada no distrito de Apeú, em Castanhal, os animais trancados em jaulas e gaiolas. "Muitos deles apresentavam ferimentos e sinais de mutilação", detalha o delegado Luís Xavier, diretor da DEMA. 

No local, os policiais civis encontraram ainda botucas, serras e o próprio ringue usados nas rinhas onde ocorriam as lutas dos galos mediante apostas em dinheiro. O responsável pelo local foi autuado pelo crime ambiental de maus tratos aos animais, com base no artigo 32, da Lei 9.605/98 (Lei de Crimes Ambientais). Participaram da operação o Delegado Rayrton Carneiro, escrivão José Luís, e investigadores Monteiro, Edelvan, Frailan, Coelho, da DEMA, e os investigadores Jaime e Aricles da Superintendência da Polícia Civil de Castanhal.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Total de visualizações

Arquivo