Polícia investiga casos de 'golpe de hospital' no Pará


Pacientes sendo atendidos em centro de saúde em Belém. (Foto: Divulgação / Agência Pará)

Criminosos são investigados pela Polícia por se passarem por médicos, enfermeiros e funcionários de hospitais para aplicar golpes em familiares de pacientes no Pará. Um alerta foi emitido pela Polícia Civil nesta segunda-feira (25). Quatro casos já são investigados pela Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe).

Os golpistas se aproveitam da fragilidade emocional das famílias com pessoas internadas para obter vantagens ilícitas, oferecendo encaminhamento de pacientes em estado grave para falsos exames e procedimentos médicos, pelos quais cobram altos valores em dinheiro.

"Essas quadrilhas de estelionatários geralmente são de fora do Pará. Em alguns momentos, eles conseguem até lidibriar o hospital, se fazendo passar por parentes do paciente em telefonemas, e conseguem dados pessoas dos internados e dos acompanhantes", explicou o delegado Neyvaldo Silva.

O delegado recomendou que se tenha toda a cautela ao receber qualquer tipo de ligação cobrando por procedimentos médicos e procurar uma delegacia para denunciar.
O crime de estelionato prevê de um a cinco anos, e se a vítima for idosa, a pena dobra para dois a dez anos de reclusão.

Suspeitas
Em nota, a Sespa disse que os casos podem ter envolvimento do hospital ou até mesmo de médicos. “Se os fatos forem apurados e apontarem irregularidades dentro das unidades de saúde, o Estado tomará medidas administrativas de punição", disse o secretário Vitor Mateus.

A Sespa informou que, caso o golpe tenha sido aplicado em unidade privada ou filantrópica que preste serviço ao Sistema Único de Saúde (SUS), esse hospital deverá ser descredenciado do Sistema Único de Saúde. A nota disse ainda que todas as unidades, seja de administração direta ou contratadas via organização social, são 100% públicas e gratuitas e que não é permitido qualquer tipo de pagamento.

Para denunciar casos como estes, a vítima pode entrar em contato com a Central de Ouvidoria do SUS, que funciona de segunda à sexta-feira das 8h às 18h pelo número 0800-2809889 ou pelo email ouvidoria@sespa.pa.gov.br.

Por G1 PA,
Tecnologia do Blogger.